Dicas para quem está começando a investir em imóveis

Dicas para você que está começando a investir em imóveis

A crise econômica levantou nos últimos anos o questionamento se era seguro investir em imóveis. Os imóveis são um bom investimento , pois, apresentam uma solidez e estabilidade e engana-se quem pensa que é preciso dispor de uma grande quantia em dinheiro para começar a investir . Este tipo de investimento é bem rentável desde que você saiba como fazer, por isso, separamos algumas dicas úteis:

Invista em terrenos: 

Investir em terrenos nas cercanias das grandes metrópoles é certeza de valorização à longo prazo. Pois , como as cidades estão em expansão, dificilmente um terreno perde seu valor ao longo dos anos, porém um investidor sensato trabalha de forma racional e pesquisa todas as nuances possíveis do mercado.

Invista em imóveis na planta:

Um imóvel na planta é mais barato, apesar de ser um processo mais demorado. Essa opção gera uma boa margem de lucro, porém faça uma pesquisa sobre o histórico da construtora, se ela é confiável ou não, antes de fechar o negócio. 

Compre para alugar:

Essa é uma ótima forma de investimento , pois o imóvel permanece no seu nome e o melhor, gerando renda. O leque para investir é vasto, desde casa para moradia até salas comerciais. Observe e estude a demanda, onde e que tipo de imóveis é mais procurado. 

Não crie barreiras geográficas:

Pesquise quais as regiões onde o investimento é mais lucrativo, talvez esse lugar não seja perto de você, pode até ser em outro Estado. 

Aposte em FII (Fundo de investimento Imobiliário):

É uma modalidade que tem como objetivo o investimento em imóveis físicos e outros fundos imobiliários. Esse fundos servem para reunir recursos de vários investidores do mercado e dividir esse total em cotas representadas por parte do valor total do mesmo. De acordo com valor empregado, o investidor receberá o número de cotas equivalentes do chamado “ mercado primário” , ou seja, quando as cotas são adquiridas diretamente do fundo. Um ponto muito importante é que o FII tem isenção fiscal, então menos um gasto.

Considere a Letra de Crédito Imobiliário (LCI):

Este é um investimento em renda fixa privada, ou seja, você “empresta” seu dinheiro para o banco investir e ele te paga juros por usar o seu dinheiro. Esses juros pagos pelo banco formam a rentabilidade do seu investimento. Para esse tipo de investimento o valor mínimo é de R$ 1.000 (mil reais).

Estude sobre o CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários):

Os certificados de recebíveis imobiliários são investimentos em renda fixa e isso significa que também seguem aquela linha de empréstimo para a instituição financeira. Como o CRI não é garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos), ele é bem mais arriscado que uma LCI.  

Conheça o Crowdfunding Imobiliário: 

Existe uma plataforma em que você pode aplicar seu dinheiro diretamente onde deseja comprar apenas “um pedaço” de um imóvel. O Crowdfunding imobiliário é uma empresa que possui plataforma totalmente online, para que você seja dono de partes de um imóvel, ou seja, é um financiamento coletivo. 

Invista em grupo:

Para quem está com pouco dinheiro, a alternativa é criar um grupo composto por pessoas de sua confiança (amigos e familiares) que sejam responsáveis e estejam dispostos a fazer esse investimento. Divida o valor da compra e o retorno financeiro, criando assim uma verba para que depois possa investir sozinho.

Faça um financiamento:

Se você não possui o dinheiro e também não tem confiança o suficiente para investir em conjunto, uma boa saída é tentar um financiamento. No Brasil um dos caminhos mais confiáveis é através da Caixa Econômica Federal, nesse processo você pode utilizar o FGTS como entrada.

Ao fazer qualquer investimento você precisa de um bom estudo sobre a área. Pesquise os valores de mercado, o crescimento da região e as leis imobiliárias, além de entender quem é o público-alvo para o qual você irá vender ou alugar o imóvel. 

O retorno do investimento em imóveis só será sentido em médio e longo prazo. Para administrar bem esse lucro você deverá fazer cálculos que englobam os valores da mobília, reformas ( se forem feitas), impostos de renda e o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis), registro e escritura. 

Existe uma forma de calcular seu lucro

Se for alugar:

Você deve dividir o total do investimento feito, considerando todas as variáveis, pelo lucro líquido que vai gerar com o aluguel. 

Se for vender:

Divida o valor que recebeu pela venda, pelo seu investimento. 

O resultado desses cálculos é o valor do seu lucro.

Enfim, todo investimento traz riscos, e tem suas vantagens e desvantagens. O que você pode fazer é estudar bastante e tentar cometer o menor número possível de erros ao investir em imóveis, para garantir que seu investimento tenha um retorno positivo.

Espero que as dicas tenham ajudado!

Até logo!